BEAUTY, Blog

Gestação pós bariátrica!!

Hello meus amores!!

Uma seguidora me pediu no Instagram para dar informações de gestação pós bariátrica e prometi que faria um breve relato de mulheres que tiveram filhos após a cirurgia bariátrica! Conversei com duas amigas minha de infância! Mas antes dos depoimentos vou falar um pouco dos cuidados que temos que ter antes de engravidar! (Cuidados para quem fez a cirurgia bariátrica).

Cuidados antes da concepção

A rápida perda de peso que se segue às cirurgias da obesidade alcança um platô por volta de 12 a 18 meses, após o procedimento. É recomendável o uso de anticoncepcional nessa fase, uma vez que a perda rápida de peso pode colocar em risco o desenvolvimento fetal e os benefícios da perda de peso para essa mulher.

As técnicas classificadas como by pass desviam o alimento de importantes rotas absortivas e podem levar à deficiência de vários micronutrientes importantes para a saúde materno fetal. As deficiências de ferro, cálcio, vitamina B12 e ácido fólico, comuns nas pacientes submetidas a essas cirurgias, são mais intensas nas mulheres que menstruam, uma vez que perdem mais ferro através do sangue menstrual.

As deficiências nutricionais idealmente deveriam ser identificadas e tratadas antes da concepção. Isso pode ser feito com a suplementação de ferro, através do fumarato de ferro, mais tolerável do que o sulfato ferroso, vitamina B12 via oral 500 a 1000mcg/dia ou por via intra-muscular 500 a 1000mcg uma vez ao mês.

O cálcio – cerca de 1200mg/dia – deve ser administrado sob a forma de citrato de cálcio, uma vez que os sais de carbonato de cálcio requerem a acidez gástrica, e devido à redução drástica da câmara do estômago e do suco gástrico, estes nutrientes são muito mal absorvidos. Finalmente, todas as mulheres em idade reprodutiva devem receber, pelo menos, 400mcg de ácido fólico diariamente, para a redução do risco das malformações neurológicas, os chamados defeitos do tubo neural.

Cuidados gestacionais

Além da manutenção dos cuidados e suplementações já iniciados antes da concepção, geralmente, há a necessidade de se intensificar as doses das vitaminas e minerais. “esse momento, a gestante deve ser advertida sobre os riscos da super dosagem de uma vitamina em especial: a vitamina A. A dose contida nas vitaminas pré-natais é de 5000UI de vitamina A, por comprimido, e, muitas vezes, a gestante, após a cirurgia bariátrica, é corretamente orientada a ingerir 2 comprimidos por dia, alcançando a dose máxima de 10000UI da referida vitamina.Além desses dois comprimidos, a gestante não deve ingerir nenhum outro remédio que contenha vitamina A, pois além da dosagem de 10000UI, a vitamina é teratogênica.

As complicações da cirurgia bariátrica durante a gestação incluem a obstrução intestinal materna, geralmente devido à hérnias do intestino delgado, mais comuns nos procedimentos com laparoscopia, em relação às mulheres operadas através de abertura da parede abdominal. Podem ocorrer ainda torções intestinais, que, às vezes, evoluem para lesões intestinais graves, quando não diagnosticadas em tempo hábil. Essas alterações intestinais podem ser induzidas pelo crescimento uterino, deslocando o intestino anatomicamente alterado pela cirurgia e predispondo a herniações e torções.

As queixas de desconforto abdominal nas gestantes devido a complicações da cirurgia bariátrica podem passar despercebidas ou podem ser confundidas com as alterações ligadas à própria gestação como os vômitos freqüentes, refluxo, contrações uterinas e mal estar matutino.

Os riscos das deficiências de micronutrientes aumentam com a progressão da gestação, levando à necessidade da suplementação desses através da via endovenosa ou intramuscular. É o caso das deficiências graves e resistentes de ferro e vitamina B12.

As baixas de glicose ou hipoglicemias, tão freqüentes nas gestantes de uma maneira geral, são geralmente mais freqüentes e mais graves nas gestantes após a cirurgia bariátrica. Além disso, a complicação mais sintomática e desconfortável dessas cirurgias, o chamado dumping, é também mais freqüente nas gestantes. Há que se reforçar a necessidade das refeições mais freqüentes, o cuidado com o jejum prolongado e o risco dos líquidos ou alimentos sólidos ricos em açúcar. As manifestações extremamente desconfortantes do dumping dão à paciente submetida à cirurgia bariátrica a noção clara da importância do controle alimentar, tanto em relação à freqüência, como em relação ao tipo de alimentos ingeridos.

Pós-parto e a amamentação

A perda de peso das gestantes, após a gestação e o parto, segue a mesma intensidade da perda de peso após a cirurgia bariátrica. Há relatos de que a maior parte do peso ganho durante a gestação é perdida nas primeiras 5 semanas após o parto.

A amamentação não é contra-indicada para estas pacientes, entretanto, quadros de deficiências maternas de microcutrientes, como os descritos acima, podem levar às mesmas manifestações nos bebês que estão amamentando. Essas mães devem seguir suas suplementações rigorosamente para realizarem o sonho de amamentarem seus bebês.

Quando comparadas com as gestantes obesas que engravidam, aquelas que o fazem após a cirurgia bariátrica, têm menor incidência de hipertensão arterial, menor ganho de peso durante a gestação e bebês de peso semelhantes, embora os grandes fetos macrossômicos sejam menos comuns nas mulheres operadas.

A orientação nutricional e a adesão das pacientes ao novo programa alimentar favorece os resultados positivos das gestações de mulheres submetidas à cirurgia bariátrica. Por outro lado, a dificuldade que muitas dessas pacientes têm de seguir estas mesmas orientações pode tornar essas gestações complicadas, expondo os bebês aos riscos de graves malformações e desnutrição.

Alguns dos nutrientes mais afetados pela cirurgia e que, normalmente, precisam ser suplementados são:

•Vitamina B12: ajuda a evitar o surgimento de alterações neurológicas no cérebro do bebê;

•Ferro: é importante para manter a produção adequada de sangue e fortalecer o sistema imune contra infecções;

•Cálcio: é essencial para o desenvolvimento de ossos saudáveis no bebê, assim como para o desenvolvimento do coração e nervos;

•Vitamina D: além de fortalecer o sistema imune, ajuda na absorção do cálcio para o desenvolvimento dos ossos do bebê.

 

DEPOIMENTO 1

“Na 1 gestação engordei 8,5kg e antes do 1 mês pós-parto já tinha emagrecido tudo.. precisei tomar noripurum venoso (ferro), a gravidez por si só já predispõe a anemia, no nosso caso que já fez bariátrica é maior ainda a predisposição.. tomei ácido fólico e sulfato ferroso durante toda a gestação mas não teve muito sucesso então tive que ir pra reposição venosa..

Na 2 gestação também tive o mesmo problema com o ferro.. engordei menos 7,5kg , mas em vez do noripurum venoso, tomei o intramuscular.. o inconveniente é o tamanho da agulha.. enorme! Em dias alternados tive que tomar injeção, do 4 mês até o final da gestação..

Mas sem muita neura.. eu procurava comer coisas ricas em ferro e vit b12

E  isso ajudou muito!

Porque entre a 1 e 2 gestação descobri que tenho hipotireoidismo de hashimoto (tipo do hipotireoidismo).

Aí até hoje sou acompanhada por endócrino também.

Mas quando normalizou as taxas da tireoide e da anemia deu uma melhorada!!”

 

DEPOIMENTO 2

“Desde meninas até os 16 anos eu sempre fui muito Magrinha.
E me achava muito feia, muito feia!
Não aceitava minha magreza e na época o padrão era pernão, bumbum grande..
Eu estava totalmente fora daquele padrão.
Um belo dia eu achei por bem, assim da minha cabeça, comprar remédio pra engordar.
Como eu sabia que Painho e mainha não iam aceitar, eu comprei na farmácia da mãe de uma amiga minha e fiquei tomando escondido por uns três eu ou quatro meses.
Depois disso eu comecei a engordar ai aos 18 anos eu estava com corpo que eu queria.
Aí o que acontece é que nesse período, até essa idade, na verdade eu era muito ativa e fazia atividade física da escola, eu andava muito. Depois fui embora pra Recife e minha rotina mudou completamente.
Pasme! Eu fui de 60kg a 90kg em 5 meses.
Depois de varias tentativas é muito efeito sanfona, achei que seria mais fácil entregar os pontos.
Foi quando cheguei aos 123kg e decidi, mesmo sendo apoio da família, fazer a cirurgia bariátrica.
Eu sou teimosa! Quando coloco uma coisa na cabeça, sai da frente!
Começou então, a corrida para fazer rápido todos os exames pré operatórios, que durou longos 7 meses.
Depois de tudo feito, esperei o plano de saúde autorizar e após 15 dias intermináveis, veio a resposta positiva.
Corri ao consultório do meu médico e marcamos a data, 04/10/2014.
Tudo organizado. Era só aguardar.
Cirurgia feita com sucesso na data marcada!
Os primeiros dias não foram fáceis. Só que maior que a vontade de comer (não era fome), era a de emagrecer logo!
E eu me encarreguei de dar uma forcinha.
Ficava 2, às vezes 3 horas na academia.
Foco!
Perdi 63 kg em 8 meses e mudou muita coisa na minha vida. Muita mesmo! De verdade!
E sabe aquela história de ônus e bônus? Teve também!
Travei uma batalha contra uma anemia que insistia em não ter fim.
Hemoglobina de 4,3 onde deveria ser no mínimo 14.
Muita idas ao hospital da Unimed e Noripurum na veia.
Nada disso fez eu me arrepender nem um minuto sequer.
Ano passado engravidei e engordei 17kg.
Morria de medo de ter dificuldade para perder. É mais uma vez, pasmem! Em 12 dias perdi os 17kg só amamentando Laura.
Hoje, minha hemoglobina está super estabilizada e minha filha saudável.”

Espero que tenham gostado!

beijinhos

jhuli 👄

Post Anterior Próximo Post

Talvez goste destes também

3 Comentários

  • Responder Sirlene julho 30, 2018 at 9:38 pm

    Adorei o tema!!! Fiz Bariatrica há 5 anos e estou grávida, graças a Deus minhas taxas estão bem normais… To engordando dentro da normalidade e o mais importante, tendo o acompanhamento dos cirurgiões também… É uma ótima dica.

  • Responder Julianny Magalhães julho 30, 2018 at 10:27 pm

    Sempre tive um peso a cima do padrão, desde adolescente, mas chegou uma época que decidi emagrecer, sempre fiz aquelas dietas meio loucas, medicações e sempre fui acompanhada por endocrinos, consegui eliminar peso, comecei a fazer faculdade e egordei tudo de novo, sempre correndo atrás de não engordar mas não conseguia manter e aquele indesejado efeito sanfona, terminei a faculdade e percebi que tinha engordado 30kg entre faculdade, cursos, pós graduação…dentre todo esse tempo conheci duas amigas d uma tia q conversavam sobre a cirurgia e me perguntou se eu tinha vontade de fazer no momento não soube responder mas logo passou uns dias procurei um responsável pela cirurgia bariátrica que me aconselhou assistir reuniões e fui conhecendo e decidi que iria fazer, só que se passaram 2 anos para o plano me liberar, pois meu plano era novo, mas mesmo assim nunca desisti e sempre nos acompanhamentos. Consegui a liberação e enfim chegou o grande dia 03.10.2014, cheguei a 106kg, quando fiz a cirurgia pesava 103kg, emagreci 30kg, nunca tive problema algum com questão de insuficiência de vitaminas, nutrientes, anemias, até brincava que achava que a cirurgia foi só um “efeito placebo” pois nunca tive dificuldade alguma pós cirúrgica, mas sempre fui dedicada e muito bem acompanhada e sempre fazia tudo que O médico falava que era p fazer. O ano passado( 2017 ) percebi que comecei a engordar então fui correr atrás do prejuízo pois sempre fui atleta, entre minhas corridas, treinos, aulas…mas não conseguia perder bem se quer 1kg. Passou o tempo e descobri que estava gestante, de início foi um “baque” pois não esperava, quando fiz os exames já estava com 4 meses, isso me preocupou, pelo acompanhamento que não tive do início e por ter feito a tão sonhada cirurgia. Fui a procura do médico e fiz todo o acompanhamento, uso de suplementos, sulfato ferroso, vitamina B( que estava Baixa). Tive uma gestação super abençoada, pois não tive problema algum, já estava em um pós cirúrgico tardio(3 anos), hoje sou mãe de um casal de gêmeos. Engordei 12kg em toda a minha gestação, com 15 dias já estava com esse peso eliminado. Toda a minha preocupação passou em relação a minha gestação e a minha cirurgia, correu como esperado! beijão Jhuli

  • Responder Nathalia agosto 25, 2018 at 10:49 am

    Jhuli,

    Muito obrigada pela atenção e boa vontade em fazer esse post pra esclarecer minhas dúvidas.
    Desculpa pela demora em ver e dar um retorno, mas é que estou numa correria, decidi fazer a cirurgia e estou fazendo os últimos exames, se Deus quiser vai dar tudo certo! Envio foto do resultado!

    Sucesso pra vc, pois você merece com tão grande simpatia !
    Beijão!

  • Deixe um comentário